Através dos seus olhos – Ponto de Vista

office-notes-notepad-entrepreneur-businesswoman.jpg

Os pontos de vista são motivos de falha e confusão para muitos escritores iniciantes.  Muitas vezes passa despercebido na hora de redigir uma história. No entanto, o seu leitor certamente notará, mesmo que inconscientemente, que há algo de errado com uma quebra de ponto de vista não intencional. Quebras são permitidas, claro, mas tem que ser muito bem feitas para não parecerem meros erros, como na maior parte das vezes.

O ponto de vista é uma forma de aproximar o leitor do personagem, uma maneira de ver através dos olhos de uma outra pessoa. Ele é capaz de criar uma conexão leitor-personagem, seja positiva ou negativa, e é essa conexão que move muitas histórias e faz com que elas funcionem. Usando pontos de vista da maneira correta, você é capaz de fazer com que o seu leitor “sinta” o que o seu personagem está sentindo, desde felicidade até extrema dor. É capaz de conhecer os lugares em que andam e vê-los da forma como ele vê. Uma torre de pedra pode ser uma maravilha incrível para um viajante acostumado com casas de madeira, mas pode ser o símbolo de dor e sofrimento para um prisioneiro que passou vinte anos dentro dela. Ainda, pode ser completamente indiferente para o soldado que guarda seus portões todos os dias. Através do uso correto do ponto de vista, você pode mostrar como essas pessoas reagem diante de lugares, outras pessoas e eventos.

Na ficção, há alguns pontos de vista bastante utilizados. Entrarei em detalhes sobre cada um deles, darei um mesmo exemplo (inventado durante a escrita deste post) em diversos pontos de vista e citarei alguns livros famosos.

3888408810_4d7ba7efb0_b

Primeira Pessoa

A primeira pessoa é o “eu”. Escrever uma história em primeira pessoa talvez seja a alternativa mais tranquila em um primeiro momento. É fácil de mostrar os sentimentos e as ações do narrador/personagem e mais difícil de quebrar o ponto de vista. O que está sendo descrito é o que o personagem está vivenciando. Uma história em primeira pessoa normalmente mantém um único ponto de vista até o fim, com algumas exceções. Isso pode ser tanto uma vantagem como uma desvantagem. Coadjuvantes, seus sentimentos e reações devem ser descritos através dos olhos do próprio narrador, o que se mostra um desafio interessante para esse tipo de ponto de vista.

Exemplo

Eu senti o cheiro acre subir do rio imundo. Foi como se uma mão socasse meu nariz. As criaturas continuavam a navegar em suas gôndolas imundas. A raiva me preencheu rapidamente, e olhei para elas querendo vingança. Desejando que pagassem o preço por terem me abandonado nas margens ermas daquele riacho. Uma delas me olhou de volta e fez uma careta de ódio, balançando o corpo em escárnio.

Livros em Primeira Pessoa

Jogos Vorazes, Divergente, Crepúsculo, Perdido em Marte.

Terceira Pessoa Limitada

De longe o mais utilizado em fantasia e ficção científica. O ponto de vista em terceira pessoa limitada é uma técnica para narrar as cenas em terceira pessoa, mas sem sair dos “olhos” de um mesmo personagem. Essa técnica gera mais flexibilidade ao trocar de pontos de vista, permitindo que o leitor conheça diversos personagens e suas visões do mundo e de coadjuvantes. Para separar pontos de vistas distintos, normalmente se usa a divisão em cenas ou em capítulos.

É fácil de quebrá-lo e exige bastante cuidado e paciência. Escritores iniciantes vão quebrar esse ponto de vista algumas vezes (faz parte da evolução da escrita) até que se acostumem a utilizá-lo. Para quebrá-lo, basta mencionar algo que o personagem da cena (o ponto de vista atual) não saiba, não esteja vendo ou, o mais comum, o sentimento de outros personagens.

Exemplo

Ele sentiu o cheiro acre subir do rio imundo. Foi como se uma mão socasse seu nariz. As criaturas continuavam a navegar em suas gôndolas imundas. A raiva preencheu Sam rapidamente, e ele olhou para elas querendo vingança. Desejando que pagassem o preço por terem-no abandonado nas margens ermas daquele riacho. Uma delas olhou de volta e fez uma careta de ódio, balançando o corpo em escárnio.

Livros em Terceira Pessoa Limitada

O Império de Diamante, As Crônicas de Gelo e Fogo, A Torre Negra, Harry Potter.

Terceira Pessoa Onisciente

É o narrador em terceira pessoa que sabe tudo o que aconteceu e acontecerá. Sabe o que os personagens estão sentindo e como cada um deles vai terminar. Não é tão utilizado pois pode estragar surpresas e gerar uma relação mais superficial entre o leitor e os personagens, mas se utilizado de forma sábia, é possível fazer excelentes histórias com ele. No exemplo abaixo, note como o narrador agora sabe o destino dos personagens, assim como a história do cenário. Esse foi o ponto de vista que optei ao escrever A Sala do Tempo, pois queria dar um aspecto irônico e sarcástico para história, descrevendo um pouco cada sentimento de forma breve, além de entrar um pouco na mente do principal antagonista,  sem sair das mentes dos personagens.

Exemplo

Ele sentiu o cheiro acre subir do rio imundo, proveniente dos milhares de cadáveres que morreram ali antes e ninguém sequer sabia. Foi como se uma mão socasse seu nariz. As criaturas continuavam a navegar em suas gôndolas imundas, tremendo de ódio e frio. A raiva preencheu Sam rapidamente, e ele olhou para elas querendo vingança. Uma vingança que ele jamais teria. Desejou que elas pagassem o preço por terem-no abandonado nas margens ermas daquele riacho. Uma delas olhou de volta e fez uma careta de ódio, balançando o corpo em escárnio, sem saber que uma flecha a acertaria nos próximos minutos.

Livros em Terceira Pessoa Onisciente

A Sala do Tempo, Duna, Guerra e Paz, O Guia dos Mochileiros da Galáxia

E aí, qual escolher? Isso depende muito do tipo de história que você está escrevendo e também do que você quer. Os pontos de vista em primeira pessoa e terceira pessoa limitada são recomendados para histórias com foco nos personagens, quando se deseja mostrar o crescimento e o desenvolvimento deles. Já o onisciente é recomendado para histórias cujo foco é a história, quando é mais importante saber dos eventos que estão acontecendo que com os personagens. Uma dica: escreva algumas histórias diferentes variando as técnicas utilizadas. Descubra o que mais te agrada e o que mais se adequa ao que você quer passar para o leitor.

Espero que tenham gostado! Há muito mais para se falar sobre pontos de vista, mas não quero que o post fique gigante. Em outro momento volto a falar deles. Deixem seus comentários e sugestões! 🙂 Para se inscrever nos posts do blog, basta clicar no botão no lado direito. Você receberá todos os novos posts pelo e-mail.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s